Blog

História do cão - Gaia

Gaia foi uma das melhores aquisições de nossa criação. Compramos ela na primeira metade de 2016. Precisávamos dar um salto de qualidade. Buscamos então o canil de um dos machos com rostinho mais bonito que já vimos. Macho com uma reputação que também gostávamos muito, a de produzir filhotes miudinhos.

Porém, o avanço das negociações esbarrou em um curioso e divertido empecilho. Qual cor a pequena Gaia iria ficar? Buscávamos um espécime laranja. E, Gaia possuía uma tonalidade marrom acinzentada. Será verdade o que dizem? Que é este o tipo de pelagem que vira o laranja. Que sable é esse, que estes criadores tanto falam? Quem aqui nunca se fez essas perguntas?

Como aspirantes a criadores de renome, também questionamos muito o laranja sable. Não sabíamos ainda que Spitz desta cor, em geral, clareiam consideravelmente com a troca de pelagem. Outra coisa que não tínhamos conhecimento na ocasião, era que as pelagens sables normalmente são as que têm as melhores texturas. O jeito era, literalmente, pagar para ver.

Graças a Deus foi isto que fizemos. Nos arrependeríamos pelo resto da vida se não tivéssemos feito essa aposta. Com o desenvolvimento Gaia se tornou tudo aquilo que esperávamos e muito mais. O preto da parte de cima de seu focinho desapareceu e seu laranja se tornou cada vez mais forte. A qualidade de sua pelagem também não deixou a desejar. Ao mesmo tempo que é densa e volumosa, ela é macia. Só de lembrar já dá vontade de acariciar.

Outra coisa apaixonante em Gaia é a sua carinha delicada. Rostinho que condiz perfeitamente com o seu temperamento. Gaia é a Spitz mais doce, meiga e amável que já vimos. Sua marca registrada é sem dúvida alguma seu sutil, terno e gracioso jeito brando de ser. No caso dela, quem vê cara vê sim coração.

O maior anseio de sua vida é ter uma caminha macia e confortável para se deitar. Se puder fazer isso ao nosso lado, melhor ainda. Não é à toa, que Gaia ama um sofá. Fica nas nuvens quando a deixamos subir. Se esparrama toda. Não cabe dentro de si, tamanha alegria. Foi apelidada até de Maria sofá por conta disso.

Gaia é tão gentil e afável que o Hugo vive brincando dizendo que ela não faz nada. Falando que não daria conta de ter um cachorro tão calmo como ela. Verdade. A tranquilidade de Gaia é tanta, que até suas gestações são bem mais demoradas que o normal. Nem nosso ecografista, mestre em desenvolvimento gestacional de cães, acredita no quanto seus partos atrasam. Ele sempre se surpreende quando acompanha sua gravidez. Acha sempre que tem coisa errada.

É mesmo difícil não ver. Gaia tem uma serenidade e calmaria tão enraizada e aflorada dentro de si, que chega a transbordar. Não importa quem é o pai da ninhada, todos os filhotes sem exceção, herdam sua quietude e mansidão. São os famosos Filhos de Gaia. Cãezinhos, muitas vezes, conhecidos também por seu tamanho diminuto. Tiffany, Ravena, Tutty, Oscar, Frida, Raffaelo, Romero, Lana e Maia são só alguns dos incríveis Filhos de Gaia.

Em todos esses anos, só teve uma vez que Gaia aprontou algo. Era uma noite como todas as outras. Dormíamos no andar de cima enquanto Gaia cuidava de seus bebês no andar de baixo. Nada de anormal até sermos acordados por um grande grito. Logo imaginamos o pior. Ao descer as escadas correndo, vimos uma cena que até hoje não entendemos direito. Sabe-se lá como, Gaia conseguiu prender a pálpebra inferior do olho, em um cercado que nem ponta tinha. Logo a Gaia. Que é a mãe mais de boa que temos. Não acreditamos.

Tadinha, deve ter tido um pesadelo horrível. Sorte, que tudo não passou de um susto. Nem de procedimento veterinário ela precisou. Ficou só na avaliação do Bruno mesmo. Ainda assim, o Hugo criou em uma das dimensões paralelas de sua cabeça, que depois desse terrível incidente Gaia se transformou. Que ficou “sangue nos olhos”.

E não é que o discurso materno, nesse caso o paterno, realmente tem poder. Agora, Gaia fiscaliza de perto todo cachorro novo que chega aqui em casa. Não perdoa nenhum indício de agitação que eventualmente surja. Ela briga mesmo. Fica no pé dos novatos um tempão, tentando corrigir seu comportamento. O que é claro, ela não consegue fazer. Nessas horas, nem parece a Gaia que conhecemos.

Gaia, nós realmente amamos o seu temperamento. Depois que te conhecemos, sentimos que tínhamos uma nova missão. Levar sua paz e equilíbrio para o maior número de lares que pudermos. Seu jeitinho é diferenciado. Não consigo imaginar você vivendo em nenhum outro lugar, que não aqui. Somos grandes fãs seu.


Entre em contato

Mensagem enviada com sucesso!

A mensagem não pôde ser enviada, tente novamente.